Quanto tempo ele vai suportar

delcidioQuanto tempo o parlamentar ao lado, Senador Delcídio do Amaral – PT/MS, vai suportar na prisão?

Depois da nota do PT dizendo que o motivo da prisão nada tem haver com atividade parlamentar ou partidária, não sendo necessário solidariedade alguma do PT, o senador deve repensar sua opinião de fidelidade ao partido.

Delcídio, pelo que dizem os militantes petistas, nunca foi um membro do partido na origem. Entrou no PT apenas para conseguir manter seu cargo na Petrobras e depois se eleger pelo PT do Mato Grosso do Sul.

Mas o senador conhece muita coisa de dentro do PT, em especial as falcatruas e outras ações que não podem vir a público. Acho que ele não vai querer passar o Natal e Ano Novo na cadeia, portanto, se a situação não melhorar, é bem provável que faça acordo de delação premiada para poder sair da PF de Brasília e ficar em casa.

Se o senador decidir falar o que sabe do PT e de todos os membros de comando, além de entrar para a história da República como o primeiro senador preso na vigência da Constituição de 1988, poderá ter outra uma página como o senador que colocou todo o resto na cadeia. É bem provável que essa segunda passagem seja mais lembrada do que a primeira, pois todos querem ver o líder preso.

Vamos aguardar para ver o que ele, Delcídio, decide sobre seu futuro. Até lá, temos apenas 25 dias para o Natal, muito tempo para pensar dentro da cadeia.

RECEITA FEDERAL, AGORA É GLOBAL

leao e IRA comunidade internacional buscou nos últimos anos uma forma de acabar com o não recolhimento de tributo advindo da sonegação e da lavagem de dinheiro. Em estudos recentes, têm-se que esta quantia chega a mais de US$1 trilhão de dólares (Banco Mundial). Para estancar a evasão fiscal, a solução encontrada foi firmar acordo binacional para a troca de informações entre os fiscos, medida que esbarrou nos países chamados de “paraísos fiscais”, que se negaram a fornecer as informações bancárias e financeiras de todos os estrangeiros em seus territórios.

Só que tal dificuldade findou, ou melhor, agora tem prazo para acabar e conta com o apoio dos “paraísos fiscais”, temerosos das sanções que podem sofrer dos países desenvolvidos. Recentemente, em nível mundial, os países integrantes do Global Forum da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE e do G20, firmaram dois importantes tratados para que as nações possam de forma rápida, trocarem dados fiscais, tributários e financeiros por meio do Multilateral Convention on Mutual Administrative Assistance in Tax Matters e do Automatic Exchange of Financial Account Information in Tax Matters, pendentes, ambos, de aprovação pelo Congresso Nacional.

Outro tratado de grande relevância para o Brasil foi assinado com os Estados Unidos na última viagem da presidente Dilma, o Foreign Account Tax Compliance Act – FATCA, já em vigor por meio do Decreto Legislativo n. 146/2015.

Com a aprovação do FATCA pelo Congresso Nacional, a Receita Federal editou Instrução Normativa que obriga as instituições financeiras a fornecerem a partir de 1º de dezembro do corrente ano, todas as movimentações bancárias, financeiras, investimentos, aplicações e previdências de todas as pessoas físicas e jurídicas, inclusive de estrangeiros, quando ultrapassarem R$2 mil e R$6 mil reais, respectivamente.

A pretexto de combater a sonegação e a lavagem de dinheiro nacional e internacional, o fisco passará a ter acesso as movimentações bancárias e financeiras que ultrapassarem os limites estabelecidos na IN (acima), sendo os dados enviados em duas oportunidades – Fevereiro e Agosto, correspondendo o primeiro envio as movimentações do 2º semestre do ano encerrado e o segundo ao 1º semestre do ano em curso.

A obrigatoriedade do envio das movimentações pelas instituições se dará mesmo que isso ocorra em apenas um produto do conjunto bancário e financeiro que detenha a pessoa física ou jurídica, mas abrangerá o cômputo geral de todos os produtos, ou seja, o gatilho para gerar a obrigação de prestar informação pela instituição é acionado apenas com único produto financeiro ou bancário. Isso fará com que o fisco tenha em fevereiro de 2017, as movimentações bancárias e financeiras de todos os brasileiros referente ao ano de 2016, permitindo confrontar os dados recebidos com a declaração do Imposto de Renda de 2016/2017.

A conclusão lógica que chegamos com o novo regramento fiscal/tributário/financeiro, é que não poderemos esconder nenhuma renda ou proventos, seja aqui ou no exterior, pois com a troca de informações autorizados pelos tratados assinados, a Receita Federal passou a ter alcance global. Outra é que todos os servidores públicos que ganham mais de R$2.000,00, terão suas movimentações bancárias e financeiras passadas pelas instituições ao fisco, que confrontará com suas declarações do IR.

Mas não se preocupe, a Receita Federal não quer pegar você que ganha dinheiro lícito e o declara, o foco são àquelas pessoas que ganham dinheiro lícito e não declaram (sonegação) e os que ganham dinheiro ilícito e também não declaram, preferindo fazer o branqueamento de capital (lavagem de dinheiro).

Pagar imposto é bom, certo e correto! O problema é o Estado brasileiro, em todas as suas esferas, que não retorna ao cidadão um serviço apropriado e digno quando comparamos com a carga tributária exigida, sendo, este ponto, onde devemos concentrar nossas reclamações.

Não custa relembrar que sonegar é crime, mas tem solução, basta pagar o imposto e seus acessórios, enquanto que lavar dinheiro, que também é crime, não tem remédio que amenize a dor de ser preso. Com estes novos aparatos normativos, a Receita Federal passou a ser e a ter alcance global contra os nacionais. Por fim, quanto a constitucionalidade da IN, isso é matéria para outro artigo.

Texto de autoria do blogueiro e publicado no jornal Opinião do Acre, no último dia 24 de novembro de 2015. Para acessar a página do jornal e ler o texto, favor clicar aqui.

COPOM entra num impasse

BCBNa reunião do COPOM que terminou na quarta-feira passada, os membros do comitê tiveram uma votação dividida, o que abre janela para uma possível elevação da taxa Selic em 2016. O certo é que somente com a divulgação da Ata da reunião na próxima semana, teremos condições de saber os argumentos sobre manter ou aumentar a taxa Selic.

Abaixo o comunicado:

Copom mantém a taxa Selic em 14,25% ao ano

25/11/2015 19:55

​Avaliando a conjuntura macroeconômica e as perspectivas para a inflação, o Copom decidiu manter a taxa Selic em 14,25% a.a., sem viés, por seis votos a favor e dois votos pela elevação da taxa Selic em 0,50 p.p.

Votaram pela manutenção da taxa Selic em 14,25% a.a. os seguintes membros do Comitê: Alexandre Antonio Tombini (Presidente), Aldo Luiz Mendes, Altamir Lopes, Anthero de Moraes Meirelles, Luiz Edson Feltrim e Otávio Ribeiro Damaso. Votaram pela elevação da taxa Selic para 14,75% a.a. os seguintes membros do Comitê: Sidnei Corrêa Marques e Tony Volpon.

Fonte: BC

O PT não defendeu seu Senador

lulaefalcaoO senhor da foto ao lado conversando com Lula, é o presidente nacional do PT, que também assina a nota abaixo. Veja que o partido já teve filiado preso nos processos do Mensalão e da Operação Lava Jato, e mesmo assim não emitiu nota tão gritante contra seu filiado preso.

Em vez de defender seu senador preso, o PT preferiu jogá-lo aos leões. A forma como o partido decidiu pela não defesa de um senador do PT, mostra como eles agem e são individualistas.

ptO PT desde o fim do mandato de Lula, não deixa de frequentar os jornais nacionais, mas suas aparições sempre ocorrem nas páginas policiais. O partido que um dia foi o guardião da verdade e da honra, hoje é o partido da mentira e da prisão. Uma pena, pois o único que poderia salvar o país, foi o único que afundou o Brasil.

Leia a nota:

“O presidente Nacional do PT, perplexo com os fatos que ensejaram a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de ordenar a prisão do Senador Delcídio do Amaral, tem a dizer o seguinte:
1- Nenhuma das tratativas, atribuídas ao senador, têm qualquer relação com sua atividade partidária, seja como parlamentar ou como simples filiado;
2- Por isso mesmo, o PT não se julga obrigado a qualquer gesto de solidariedade;
3- A presidência do PT estará convocando, em curto espaço de tempo, reunião da Comissão Executiva Nacional para adotar medidas que a direção partidária julgar cabíveis.

Brasília, 25 de novembro de 2015

Rui Falcão

Presidente Nacional do PT”

Retirado em 26/11/2015 do endereço eletrônico na internet do PT-RS.

Como votou cada senador sobre a prisão de Delcídio

SenadoAbaixo a lista de como votou cada senador presente ontem na sessão que deliberou sobre a prisão do Senador Delcídio do Amaral – PT/MS. O Sen. Delcídio foi o primeiro senador preso na vigência da Constituição Federal de 1988.

senado prisao delcidio

Votaram por revogar a prisão:
Ângela Portela (PT-RR)
Donizete Nogueira (PT-TO)
Fernando Collor (PTB-AL)
Gleisi Hoffmann (PT-PR)
Humberto Costa (PT-PE)
João Alberto Souza (PMDB-MA)
Jorge Viana (PT-AC)
José Pimentel (PT-CE)
Lindberg Farias (PT-RJ)
Paulo Rocha (PT-PA)
Regina Sousa (PT-PI)
Roberto Rocha (PSB-MA)
Telmário Mota (PDT-RR)

Abstenção
Edison Lobão (PMDB-MA)

Votaram por manter prisão
Acir Gurgacz (PDT-RO)
Aécio Neves (PSDB-MG)
Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP)
Ana Amélia (PP-RS)
Antônio Carlos Valadares (PSB-SE)
Ataídes Oliveira (PSDB-TO)
Benedito de Lira (PP-AL)
Blairo Maggi (PMDB-MT)
Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
Cristovam Buarque (PDT-DF)
Dalírio Beber (PSDB-SC)
Dário Berger (PMDB-SC)
Davi Acolumbre (DEM-AP)
Douglas Cintra (PTB-PE)
Eduardo Amorim (PSC-SE)
Elmano Ferrer (PTB-PI)
Eunício Oliveira (PMDB-CE)
Fernando Coelho (PSB-PE)
Flexa Ribeiro (PSDB-PA)
Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN)
Hélio José (PSB-DF)
Ivo Cassol (PP-RO)
Jader Barbalho (PMDB-PA)
João Capiberibe (PSB-AP)
José Agripino (DEM-RN)
José Maranhão (PMDB-PB)
José Medeiros (PPS-MT)
José Serra (PSDB-SP)
Lasier Martins (PDT-RS)
Lídice da Mata (PSB-BA)
Lúcia Vania (PSB-GO)
Magno Malta (PR-ES)
Marcelo Crivella (PRB-RJ)
Marta Suplicy (PMDB-SP)
Omar Aziz (PSD-AM)
Otto Alencar (PSD-BA)
Paulo Bauer (PSDB-SC)
Paulo Paim (PT-RS)
Raimundo Lira (PMDB-PB)
Randolfe Rodrigues (REDE-AP)
Reguffe (PDT-DF)
Ricardo Ferraço (PMDB-ES)
Ricardo Franco (DEM-SE)
Roberto Requião (PMDB-PR)
Romário (PSB-RJ)
Romero Jucá (PMDB-RR)
Ronaldo Caiado (DEM-GO)
Rose de Freitas (PMDB-ES)
Sandra Braga (PMDB-AM)
Sérgio Petecão (PSD-AC)
Simone Tebet (PMDB-MS)
Tasso Jereisseti (PSDB-CE)
Valdir Raupp (PMDB-RO)
Vanessa Graziotin (PCdoB-AM)
Vicentinho Alves (PR-TO)
Waldemir Moka (PMDB-MS)
Walter Pinheiro (PT-BA)
Wilder Morais (PP-GO)
Zezé Perrella (PDT-MG)

André Esteves, do BTG Pacutal, é preso!

A imagem do dia foi a prisão do presidente do banco BTG Pactual, André Esteves, juntamento com o Senador Delcídio Amaral (PT-MS), por envolvimento nas tratativas para coagir o ex-diretor da Petrobrás, Nestor Cerveró, a fim de esse não fazer o acordo de delação premiada no processo da Operação Lava-Jato.

Pelo que tudo indica, a papel de André Esteves era manter a mesada de R$50 mil reais aos familiares de Cerveró, enquanto ele fugia do país com um habeas corpus obtido pelo senador.

Talvez agora com a prisão do presidente do BTG Pactual, a humildade no banco volte ao patamar da realidade, bem como sua interferência no mercado de capitais.

esteves preso

IPCA de 2016 continua aumentando

Inflacao 2Continuamos nossa saga para derrubar a inflação em 2016 sem a ajuda do Banco Central e do governo Dilma – a economista que não sabe nada de economia.

O Focus da semana trouxe outra elevação para o IPCA 2016, subindo 14 pontos percentuais, estando com projeção para o final de 2016 em 6,64%.

O governo, leia-se Dilma, é incompetente para estancar a sangria do fiscal, deixando de fazer sua parte conforme pretende Levy e causando os maiores contratempos aos brasileiros.

É exemplar a incapacidade de Dilma de aceitar que errou no 1º governo e pedir desculpa. Prefere empurrar com a barriga as bagunças realizadas na companhia de Mantega e Arno, respectivamente Ministro da Fazenda e Secretário do Tesouro Nacional do 1º governo.ipca

A oposição, se é que temos uma, precisa fazer algo com urgência para acabar com a falta de compromisso do atual governo, do PT, de Lula – esse que só fica fritando Levy – e tratar de consertar logo o país.

Infelizmente sofremos com a falta de compromisso e de honestidade de nossos políticos em Brasília, uma vez que nada fazem em prol do povo brasileiro.

realSem meta para inflação nas palavras de Dilma (não vamos estipular uma meta, mas quando chegar na meta, vamos dobrar a meta), é preferível apostar contra a política governamental e aplicar o dinheiro em produtos financeiros atrelados a Selic, CDI, Títulos do Tesouro com lastro no IPCA + juros, pois só assim poderá ter um pequeno ganho real.

Mas o mais importante é não ficar desempregado. Não fique desempregado e tenha sorte para viver com esse governo e essa oposição incompetentes.

insolvenciaVocê ainda vai ficar muito tempo, muito tempo mesmo na corda bamba por causa de um governo sem responsabilidade com a vida e o patrimônio de todos nós. Por fim, a meta de 6,50% para o IPCA de 2016 já foi ultrapassada um ano e um mês de antecedência.

Semana Atual:

IPCA 2016: 6,64%

Semana passada:

IPCA 2016: 6,50%

Leia o Focus IPCA 2016 da semana passada.

Focus da semana

Vai que é tua Tafarel. Não, esquece, vai não! A semana sem feriado começa com mais um boletim Focus desastroso para todos nós e para o Brasil.

Dilma conseguiu o que ninguém imaginava que poderia ocorrer em tão pouco tempo de estabilidade econômica, voltar para inflação na casa de dois dígitos.

O focus da semana traz IPCA em 10,33%, PIB em -3,15% e para finalizar a desgraça, Produção Industrial em -7,50%. É muita notícia ruim para o fim do ano. A tendência é ainda de mais e mais desastres na inflação e na produção industrial.

E com os dados catastróficos, vamos caminhando para beira do abismo sem condições de voltar para a normalidade econômica enquanto Dilma continuar no comando da nação.

A boa notícia é que os argentinos numa visão de lucidez, acabaram com 12 anos de sofrimento de um governo de esquerda. Quem sabe a moda pega por aqui. Vamos aguardar o resultado no mês que vem na Venezuela.

Semana atual:

IPCA: 10,33% / PIB: -3,15% / Dólar: R$ 3,95 / Produção Industrial: -7,50% / Balança Comercial: US$14,95 Bi / Conta Corrente: US$-64,35 Bi / Selic: 14,25% / IPCA 2016: 6,64% / Invest. Direto no País: US$62,80 Bi

Dados da semana passada:

IPCA: 10,04% / PIB: -3,10% / Dólar: R$ 3,96 / Produção Industrial: -7,40% / Balança Comercial: US$14,95 Bi / Conta Corrente: US$-64,85 Bi / Selic: 14,25% / IPCA 2016: 6,50% / Invest. Direto no País: US$62,80 Bi

Leia o Focus da semana passada.

IBGE divulga taxa de desemprego

O IBGE divulgou ontem (19/11/2015), a taxa de desemprego que atingiu 7,9% da população economicamente ativa, um reflexo da maravilhosa experiência da Nova Matriz Econômica da presidente Dilma e companhia no seu 1º mandato.

Indicador / período OUTUBRO
de 2015
Setembro
de 2015
Outubro
de 2014
Taxa de desocupação
7,9%
7,6%
4,7%
Rendimento real habitual
R$ 2.182,10
R$ 2.194,71
R$ 2.345,81
Valor do rendimento em relação a
-0,6%
-7,0%

Fonte: IBGE

A falta de capacidade gerencial de Dilma, mesmo tendo sido vendida por Lula como a “gerentona” de seu governo, mostrou que os 20 anos de estabilidade alcançados depois de muita luta com a inflação, foi, em apenas 4 anos, dilacerada pelo governo de Dilma 1, Mantega e companhia.

O pior quando olhamos um ao antes, em plena campanha eleitoral, era um governo que se vangloriava de uma taxa de desemprego em 4,7%, servindo tal alarde apenas para ganhar eleição.

Hoje a população paga um preço altíssimo por ter acreditado e concedido voto de confiança numa pessoa que maquiou todos os dados, todas as informações para ser reeleita, trazendo o mundo real para os brasileiros em 2015.

Abaixo melhores informações do IBGE:

A taxa de desocupação de outubro (7,9%) ficou estatisticamente estável frente a setembro (7,6%) e subiu 3,2 pontos percentuais em relação a outubro de 2014 (4,7%). Foi a taxa de desocupação mais alta para um mês de outubro desde 2007 (8,7%).

A população desocupada (1,9 milhão de pessoas) ficou estável frente a setembro e subiu 67,5% (mais 771 mil pessoas em busca de trabalho) em relação a outubro de 2014. Na comparação anual, essa foi a maior variação percentual da população desocupada na série histórica da Pesquisa Mensal de Emprego, iniciada em 2002.

A população ocupada (22,5 milhões) recuou em ambas as comparações: -1,0% (230 mil pessoas) em relação a setembro e -3,5% (825 mil pessoas) frente a outubro de 2014. Já a população não economicamente ativa(19,6 milhões) cresceu nas duas comparações: 1,4% no mês (272 mil pessoas) e 2,9% no ano (561 mil pessoas).

O número de trabalhadores com carteira assinada (11,2 milhões) ficou estável no mês e recuou 4,0% (470 mil pessoas) no ano.

O rendimento médio real habitual dos trabalhadores (R$ 2.182,10) caiu em ambas as comparações: -0,6% frente a setembro e -7,0% em relação a outubro de 2014.p>

A massa de rendimento médio real habitual dos trabalhadores (R$ 49,6 bilhões) em outubro de 2015 caiu 1,7% frente a setembro e recuou 10,4% na comparação anual.

A massa de rendimento médio real efetivo dos trabalhadores em setembro de 2015 (R$ 49,9 bilhões) recuou nas duas comparações: -1,4% frente a agosto e -10,2% frente a setembro de 2014. A Pesquisa Mensal de Emprego (PME) é realizada em seis regiões metropolitanas (Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre) e sua publicação completa pode ser acessada aqui.